02/12/2014
Benfica fora da próxima fase
Derrota na Bélgica compromete apuramento

O SL Benfica partiu para a Bélgica com aspirações de poder continuar a lutar por um lugar no Top 16 da Eurochallenge, mas o jogo desta terça-feira não foi favorável aos campeões nacionais. A derrota por 63-92 frente ao Mons-Hainau afastou a equipa comandada por Carlos Lisboa da fase seguinte da competição, um objetivo que começou a ficar comprometido durante o 2º período do encontro. Os encarnados ainda conseguiram equilibrar o inicio de cada uma das partes, mas a falta de consistência durante os 40 minutos comprometeu a presença do Benfica entre as 16 melhores equipas da prova. Este resultado combinado com o triunfo do Nanterre frente ao Kataja Basket torna impossível que os belgas sejam alcançados na segunda posição do Grupo E.

 

O primeiro período foi marcado pela equilíbrio, e só um cesto de Jamie Billie deu a liderança à equipa belga nos instantes finais do quarto inicial (22-21). O Benfica dava sinais de estar bem no encontro, mostrando-se capaz de controlar o normal ímpeto inicial da equipa que joga em casa, mas estes dois pontos marcariam o começo de um parcial de 21-2 favorável ao Mons-Hainau. Os triplos fizeram a diferença nesta fase do jogo, com o Benfica a não ser capaz de contrariar os tiros de longa distância de Smith e Battle.

 

Tínhamos avisado o quão importante seria jogar muitos minutos de qualidade, algo que só seria possível se o Benfica fosse consistente durante todo o encontro. Este mau momento dos encarnados comprometeria em definitivo as ambições dos campeões nacionais, que ao intervalo já perdiam por 28-43. Um resultado desfavorável, e embora a diferença pontual fosse possível de anular, já colocava dificuldades acrescidas ao Benfica que tinha a obrigação de vencer o encontro.

 

No segundo tempo os comandados de Carlos Lisboa voltaram a mostrar a qualidade exibida nos primeiros 10 minutos, mas o empate a 18 pontos registado no 3º período servia melhor os interesses da equipa que seguia no comando do marcador. No derradeiro período, a formação portuguesa voltaria a mostrar-se inconsistente na sua prestação, voltou a permitir um parcial de 13-3, pelo que naturalmente o resultado final resvalou para números que não traduzem o que realmente se passou durante o encontro.

 

As boas percentagens de lançamento da equipa belga, bem como os 12 triplos conseguidos, acabaram por fazer mossa neste encontro. O Benfica conseguiu controlar a luta das tabelas, esteve bem na tabela ofensiva (13), muito eficaz da linha de lance-livre (26/32 – 81.3%), controlou relativamente bem a posse de bola (16 turnovers), mas esteve mal a atirar ao cesto, e acima de tudo a defender já que sofreu 92 pontos. Que a este nível...

 

O norte-americano Ronal Slay (19 pontos e 3 ressaltos) voltou a mostrar que gosta de confrontos de elevado grau de dificuldade, e Jobey Thomas (18 pontos, 2 assistências e 2 ressaltos) teve mais uma prestação em que se destacou pelos seus triplos (4/9). 



Autor: FPB
Fonte:


Imagens




Anexos


Último(s) comentário(s)




Conteúdos relacionados
Relações


Veja também:


PATROCINADORES E PARCEIROS
Parceiros Institucionais
Parcerias