Artigos da Federaçãooo

Portugal inicia Europeu de sub20 femininos esta sexta-feira

Três anos depois, um momento especial, com o regresso dos Europeus jovens. A Seleção Nacional de sub20 femininos, integrada na Divisão A depois da exclusão da Rússia, é a primeira equipa portuguesa a entrar em ação.

Portugal integra o grupo D e vai defrontar a Irlanda (sexta-feira, 14h15, transmissão aqui), Letónia (sábado, 12h) e a Sérvia (domingo, 12h30)

Marcámos presença num dos últimos treinos da formação lusa, no Complexo Desportivo Municipal do Casal Vistoso, em Lisboa, antes da partida para a Hungria, onde falámos com José Araújo (selecionador nacional) e com as atletas Eva Carregosa, Inês Vieira e Leonor Paisana.

José Araújo deixa elogios às suas atletas e não hesita na hora de apontar a meta para este Campeonato da Europa: “A equipa que nós conhecemos menos é a Irlanda. Teve uma boa geração de sub18, mas com a pandemia perderam-se um pouco as referências. Conhecemos a Letónia e a Sérvia, que são sempre equipas de topo europeu. Quanto à Irlanda, estamos a colecionar o máximo de informação possível, até porque é o nosso primeiro jogo. A preparação para a competição estava muito bem feita, mas faltaram-nos momentos de jogo, porque ao passarmos para a Divisão A a nossa programação mudou um pouco. Teríamos partidas frente à Grécia e Irlanda, mas a equipa irlandesa não quis defrontar-nos porque seríamos adversários. O Torneio de Pombal foi muito bom para nós, contra equipas de Divisão A, ganhámos duas vezes à Lituânia. Contra a Polónia e a Chéquia percebemos que somos capazes de competir. Falta-nos alguma coisa ainda, colocaram-nos muitos problemas físicos, mas já estávamos à espera disso. Mas foi ótimo ao nível de trabalho. A nossa equipa é muito homogénea, não temos jogadoras muito altas. A trabalhar são fantásticas, não tenho nada a apontar. Somos uma equipa que vai ter de andar muito no campo inteiro, com posses de bola um pouco mais curtas. Mas trabalhar com elas é um prazer. O nosso objetivo específico e claro é a manutenção na Divisão A”, afirma.

Já Eva Carregosa é o rosto do contentamento por representar a Seleção: “Estamos com vontade de disputar a Divisão A. Temo-nos preparado bem, frente a equipas à altura, temos trabalhado para isso. Está tudo em forma para tentarmos fazer algo de interessante e causar umas surpresas. É sempre bom ver o nosso trabalho diário recompensado, e ao serviço da Seleção Nacional é outra coisa. Depois deste tempo de paragem, sem Europeus e não podendo vestir a camisola de Portugal, é uma sensação ótima este regresso”, aponta.

Por seu turno, uma das “emigrantes” da turma das quinas, Inês Vieira, apresenta-se confiante: “Em Pombal fomos inconstantes nos dois primeiros jogos, mas na terceira partida, contra a Lituânia, melhorámos. Somos uma equipa muito nova, mas várias atletas têm experiência internacional. Vai correr bem, temos de estar confiantes. Estamos desejosas de que o Europeu comece. Vai ser difícil, mas será muito bom para nós. Este grupo é muito trabalhador, somos muito chegadas. Ganhei experiência nos EUA e vou poder fazer uso da mesma no Europeu”, diz.

Leonor Paisana, que também alinha nos EUA, afirma estar pronta para este desafio: “Sinto que este mês foi muito duro com os treinos, mas estamos preparadas. Estamos ansiosas por poder voltar a jogar um Europeu. Toda a gente se esforça, com muito suor e sacrifício. Estou mais preparada, os EUA trouxeram-me experiência. A qualidade e quantidade de trabalho ajudaram-me”, assegura.

A equipa técnica, constituída pelo já mencionado José Araújo e pelos seus adjuntos, Pedro Dias e Fátima Freitas Silva, convocou as seguintes jogadora para esta prova:

– Ana Barreto (SL Benfica)
– Beatriz Santos (Quinta dos Lombos)
– Carolina Moura (CPN)
– Eva Carregosa (Olivais FC)
– Filipa Barros (Vitória SC)
– Inês Vieira (University Utah – EUA)
– Jéssica Azulay (SC Braga)
– Leonor Paisana (Winthrop University – EUA)
– Maria Cruz (SL Benfica)
– Maria Gonçalves (GDESSA)
– Mariana Cegonho (CB Queluz)
– Sara Peres (CPN)


Portugal ultrapassado por Montenegro no fecho do apuramento para o Mundial

Na última jornada da 1.ª ronda da qualificação europeia para o Mundial 2023, Portugal perdeu em Odivelas, diante de Montenegro, por 77-62, despedindo-se desta forma da qualificação para o Mundial do próximo ano.

A Seleção Nacional masculina teve de correr sempre atrás do prejuízo, e depois de uma forte entrada da formação montenegrina – parcial de 5-16 nos primeiros sete minutos – a equipa das quinas reagiu e reaproximou-se da formação dos Balcãs. Terminado o 1.º quarto, Portugal perdia por cinco (14-19) e estava dentro do jogo. Apesar da boa reação, Montenegro voltou a aplicar um parcial favorável de 16-26 e foi para o intervalo com 15 pontos de vantagem (30-45). A segunda metade do jogo pedia uma Seleção mais eficaz e intensa no meio-campo defensivo, algo que se veio a concretizar na reta final do 3.º quarto, momento em que Portugal ficou a apenas nove pontos de diferença (51-60).

Apesar das boas sensações e do apoio do público que marcou presença no Multiusos de Odivelas, Montenegro voltou a superiorizar-se e a afastar-se na liderança do jogo. No final dos quarenta minutos regulamentares o marcador ditava o triunfo de Montenegro (62-77), naquele que foi o último encontro da Seleção Nacional na fase de qualificação para o Mundial 2023. O capitão Miguel Queiroz, em dia de aniversário, realizou uma exibição digna de destaque (17pts, 8res, 1ast, 1rb), sendo bem secundado por Daniel Relvão (8pts, 2res, 1ast, 1rb) e Diogo Ventura (9pts, 1res, 2ast, 1rb).

No final da partida, o treinador-adjunto Sérgio Ramos abordou o jogo e o que se segue nos objetivos da Seleção Nacional: “Devíamos ter jogado melhor na primeira parte, a nossa energia não foi a melhor. Não fizemos um bom defensivo e no ataque tivemos dificuldades. Montenegro defendeu bem, é uma equipa dura. Na segunda parte já conseguimos ajustar-nos, a bola circulou, executámos melhor e conseguimos equilibrar os ressaltos. Foi difícil para nós, sabíamos que já não podíamos passar à próxima fase, mas era uma vitória importante para o nosso orgulho enquanto equipa. Temos de ser melhores, evoluir, mas estes jogos fazem parte do crescimento desta jovem seleção. Em dois anos queremos estar no EuroBasket 2025″, assegurou.

Bosko Radovic, técnico montenegrino, teceu ainda rasgados elogios à equipa das quinas: “Terminámos o grupo da melhor maneira possível. Sabíamos que íamos ter um jogo difícil frente à seleção portuguesa, que, mesmo sem chances de progredir, jogou hoje com grande caráter e estão de parabéns. É uma grande vitória para nós. Sabíamos que Portugal é uma equipa muito intensa, com caráter e que joga bom basquetebol. Jogaram bem nas receções à Hungria e França, e também no jogo fora com a Hungria. Esta equipa de Portugal, no futuro, será um adversário muito complicado para as restantes seleções”, explicou.

Conferência de imprensa completa, aqui.

Desta forma, Portugal terminou esta campanha no quarto posto do grupo E, comandado pela França. A equipa das quinas, volta a reunir-se em agosto para começar a preparar a pré-qualificação para o EuroBasket 2025.


Portugal fecha participação nos Jogos do Mediterrâneo

Terminou a participação portuguesa na competição de 3×3 dos Jogos do Mediterrâneo, que decorrem em Oran, cidade argelina. A Seleção Nacional de sub23 femininos alcançou o quinto posto, enquanto a equipa masculina se classificou no sexto lugar.

A formação feminina começou, este domingo, por superar a Eslovénia por 11-8, com Maria Marinho, Raquel Laneiro e Mariana Silva a converterem 3 pontos, enquanto Alice Martins registou 1 ponto. De seguida, no duelo decisivo, Portugal bateu a Tunísia por 13-6, com um parcial de 5-0 a revelar-se determinante para as nossas cores. Raquel Laneiro e Maria Marinho marcaram 4 pontos, sendo secundadas por Mariana Silva (3pts) e Alice Martins (2pts).

Já a turma masculina ganhou o primeiro jogo, frente à Grécia, por 19-17. Uma reta final de grande nível, traduzida em 5 pontos consecutivos, valeu um triunfo luso, num encontro em que Rui Palhares (9pts) se mostrou inspirado, seguindo-se Lamine Banorá (4pts), André Gomes (3pts) e Jorge Embaló (3pts). No segundo embate, a anfitriã Argélia venceu a nossa Seleção por 21-17, num jogo em que Portugal chegou a estar a ganhar por 7-2. André Gomes (6pts) foi o jogador mais produtivo na equipa das quinas, sem esquecer Rui Palhares (5pts), Lamine Banorá (4pts) e Jorge Embaló (2pts).

 


Portugal perde contra a Alemanha no fecho de torneio italiano

Na despedida do Torneio Roseto degli Abruzzi, em Itália, a Seleção Nacional de sub20 masculinos perdeu frente à Alemanha, vencedora do certame, por 72-60.

Após um primeiro quarto em que se viu em desvantagem (9-19), Portugal reagiu da melhor forma e com um parcial de 16-7 chegou ao intervalo na frente (25-23).

Mas no terceiro quarto, a nossa Seleção acabou por sofrer 30 pontos, algo que se revelou decisivo para o desfecho final do encontro.

Contas feitas, e diante de três poderosas equipas que também vão estar presentea na Divisão A europeia, Portugal registou um triunfo, face à Itália, e além da derrota deste domingo também perdeu contra a Bélgica.

A turma lusa competirá no Europeu de Podgorica (16 a 24 de julho), cidade montenegrina, e faz parte do grupo B juntamente com a Grécia, Itália e Israel.

 


Seleção Nacional quer fechar qualificação com vitória

Portugal encerra a qualificação para o Mundial 2023 esta segunda-feira, no pavilhão Multiusos de Odivelas (entrada livre), pelas 19h00 em partida diante Montenegro. Apesar de já não ser possível atingir a segunda ronda de qualificação, a equipa das quinas quer terminar esta terceira e última janela de qualificação com uma vitória.

No lançamento da partida desta segunda-feira, José Barbosa e o treinador-adjunto Sérgio Ramos, anteviram o último jogo da Seleção Nacional que pretende encerrar a qualificação com um triunfo. Para o técnico de 46 anos, fechar esta fase com uma vitória é essencial, sobretudo depois da exibição resiliente em Budapeste: “Importa referir que fizemos um jogo bom contra a Hungria e que foi pena não termos conseguido a vitória. Fomos competitivos, mas não estivemos ao nosso nível no ressalto ofensivo e na recuperação defensiva, no entanto no computo geral estamos satisfeitos com o trabalho dos jogadores. A entrega, o trabalho diário, a forma como resistimos à adversidade e demos a volta por cima durante o jogo deu-nos a possibilidade de termos ganho o jogo. Era importante terminarmos esta fase com uma vitória. É um jogo que já não conta para nada, mas é importante para nós, para a nossa ambição, para o nosso caráter e tenho a certeza absoluta de que os jogadores querem muito ganhar este jogo. Queremos demonstrar que neste nível superior onde estamos a jogar conseguimos ganhar além de competir, como já temos feito”, explicou.

Já o base internacional português, José Barbosa, corrobora as palavras de Sérgio Ramos, lançando o repto para os portugueses encherem o Multiusos de Odivelas: “Ficamos com bons apontamentos desde o último jogo. Este grupo não merece acabar esta fase de qualificação para o Mundial, algo que já podia ter acontecido noutro jogos e que infelizmente não conseguimos alcançar. Mesmo que este jogo já não conte para a história do grupo e para a qualificação, sentimos que trabalhamos e fazemos tudo para acabar com uma vitória. Jogamos em casa, perante todos os portugueses que acredito que compareçam para nos apoiarem. Queremos vencer por nós, mas também por eles, merecemos isso. Aproveito para lançar o repto para encherem o Multiusos de Odivelas, sem dúvida que será um grande espetáculo de basquetebol”, atenta.

Relativamente ao adversário deste último jogo, que superou a Seleção Nacional em Podgorica em novembro passado (83-69), o ex-internacional luso e agora técnico-adjunto da equipa das quinas dá a receita para Portugal ficar mais próximo da vitória: “Montenegro tem uma equipa dura, agressiva, forte no contra-ataque e em campo aberto, portanto temos de ser mais fortes na transição defensiva. Além disto temos de parar as situações de um contra um exterior, aspeto onde os montenegrinos são muito fortes e verticais. É importante que consigamos controlar as suas transições e a capacidade que apresentam em criar jogo desde o exterior para os jogadores interiores. Na minha opinião estes fatores são fundamentais para sermos competitivos e conseguirmos alcançar a vitória”, esclarece.

Para José Barbosa o potencial da Seleção Nacional ainda não foi explorado na totalidade, podendo atingir voos mais elevados num futuro próximo: “Relativamente a Montenegro, vamos enfrentar dificuldades que são transversais aos outros jogos. Fisicamente são mais fortes, a intensidade tem de ser a mesma que tivemos com a Hungria, se equipararmos isso ficamos mais próximos de vencer. Temos de jogar de forma tranquila, acreditarmos mais em nós e no nosso potencial. Esta seleção é bastante jovem e é capaz de alcançar mais. Perdemos jogos nos detalhes, o último foi por um ponto e podia ter sido decidido de outra forma. Temos de nos agarrar a essa ideias para ganharmos este jogo”, finalizou.

O encontro tem transmissão em direto na RTP2 a partir das 19h00 desta segunda-feira. A entrada no pavilhão Multiusos de Odivelas é livre.


Seleção nacional sub22 de bronze nos Jogos Europeus da Juventude

A seleção nacional de BCR sub22 alcançou a medalha de bronze, nos Jogos Europeus da Juventude, fruto do triunfo contra a Irlanda por 60-47.

Num jogo com contornos diferentes daquele disputado na fase regular da prova, os irlandeses entraram melhor na partida, com elevadas percentagens de concretização no lançamento exterior e abalaram as hostes nacionais. Paulatinamente, os comandados de Ricardo Vieira mitigaram a desvantagem e terminaram o quarto inaugural um ponto abaixo – 13-14. O ascendente luso não se dissipou e Portugal saltaria para a frente do marcador antes do descanso – 31-26. Na segunda parte, a seleção nacional descolou em definitivo, mercê de uma maior agressividade defensiva na contenção da capacidade de lançamento a quatro metros do adversário e boas percentagens de concretização – 47-35 ao cabo de trinta minutos. Nos últimos dez minutos, nem mesmo a reação esboçada pelos irlandeses fez perigar a distância cavada no placar, que até se estenderia para o resultado final de 60-47.

Ângelo Pereira (23pts, 7res, 5ast, 1dl), Miguel Reis (19pts, 6res, 5ast, 1rb) e João Castro (6pts, 4res, 1ast, 2rb) estiveram em bom plano. Por sua vez, Jack Mangan (17pts, 11res, 1rb) e Darrgh O’Regan (8pts, 3res, 1ast, 2rb) lideraram a réplica da formação da Irlanda.

No plano das distinções individuais, Miguel Reis foi eleito para o cinco ideal da competição.

 


Seleção sub20 não consegue ultrapassar oposição belga

Depois da vitória nos últimos instantes sobre a Itália no primeiro jogo do torneio Torneio Roseto degli Abruzzi, Portugal voltou a entrar em campo para enfrentar a Bélgica, num encontro em que o triunfo sorriu ao conjunto belga (62-52).

Com a equipa debilitada fruto de um vírus que afetou a equipa técnica e cinco atletas, a equipa das quinas viu a Bélgica entrar melhor e depressa assumir uma vantagem que, à entrada para o segundo período, se firmava nos 17-4. Até ao intervalo a formação lusa conseguiu reduzir a desvantagem (29-18), mas o conjunto belga seguia confortavelmente na frente.

O intervalo surtiu efeito positivo na seleção portuguesa, que se mostrou mais eficaz e coesa em ambos os lados do campo e conseguiu reduzir a diferença para 42-36. Contudo, e apesar do esforço, o triunfo caiu para o adversário por 62-52.

Portugal joga o terceiro e último encontro no torneio este domingo (18 horas) contra a Alemanha, uma partida com transmissão aqui.


Portugal dá boa réplica à Holanda e supera Finlândia

A seleção nacional sub22 de BCR somou a segunda vitória nos Jogos Europeus da Juventude. De manhã, a equipa das quinas caiu ante a Holanda – 69-44 -, seleção invicta na prova, e, no segundo encontro do dia, bateu categoricamente a Finlândia – 66-17.

No duelo com a formação holandesa, os pupilos de Ricardo Vieira demonstraram uma atitude competitiva capaz de equilibrar a contenda nos cinco minutos inaugurais. Contudo, o jogo interior da nação rival revelou-se difícil de contrariar e, no final do primeiro quarto, a desvantagem lusa já se cifrava na casa das dezenas – 24-12. A dinâmica do encontro não se alterou e a Holanda continuou a avolumar a sua vantagem até ao descanso – 18-11. Seguiu-se uma resposta positiva da seleção nacional, que perdeu a segunda parte por apenas seis pontos – 13-8 e 14-13 (69-44). Miguel Reis (16pts, 3res, 1ast) e Ângelo Pereira (9pts, 5res, 4ast, 1rb, 1dl) exibiram maior denodo, nas cores nacionais. Pelos holandeses, despontaram Jelmar van Brunschot (23pts, 15res, 2ast), Julia van der Sprong (18pts, 6res, 5ast, 2rb, 1dl) e Walter Vlaanderen (14pts, 15res, 4ast, 2rb, 1dl).

No segundo compromisso da jornada, Portugal contornou, com contundência, a anfitriã Finlândia, por inequívocos 66-17. Num jogo de sentido único, todos os atletas nacionais dispuseram de minutos significativos em campo e colocaram o seu nome na ficha de marcadores – 16-4 / 17-4 / 13-5 / 20-4. Ângelo Pereira (9pts, 6res, 7ast, 2rb), Emanuel Soares (12pts, 5res, 2ast, 1rb, 1dl) e Alexandre Conde (6pts, 7res, 4ast) lideraram, a nível estatístico, na seleção nacional. Por seu turno, na nação anfitriã do torneio, Santeri Karvo (6pts, 5res, 1ast, 2rb) e Topias Tyni (4pts, 7res, 1ast) revelaram-se os mais inconformados.

A seleção nacional sub22 disputa, amanhã, a medalha de bronze da competição, contra a Irlanda, às 08h portuguesas, jogo com transmissão aqui.


Portugal bate Itália com reviravolta nos últimos segundos

Num embate que se repetirá dentro de duas semanas (16 de julho) no Campeonato da Europa de sub20, Portugal venceu a seleção italiana por 64-63 com uma reviravolta fantástica nos últimos minutos.

Uma partida que começou pautada pelo equilíbrio, os comandados de André Martins estiveram coesos durante o primeiro quarto e venciam por 14-11 após os primeiros dez minutos de jogo. A toada manteve-se durante o segundo período, mas uma investida italiana nos minutos finais colocou o resultado em 31-28 para a equipa da casa ao intervalo.

O descanso favoreceu a seleção de Itália que voltou mais forte e conseguiu distanciar-se no marcador (55-46) à entrada para o quarto período. Apesar das tentativas da formação lusa (que debela uma virose que afetou a equipa técnica e cinco atletas), o conjunto italiano aumentava a diferença e partia de forma confortável para os instantes finais.

Contudo, e quando a vitória adversária parecia certa, a seleção portuguesa galvanizou-se e conseguiu dar a volta ao resultado. De uma desvantagem de nove pontos a menos de dois segundos, os jogadores da equipa das quinas conseguiram recuperar e vencem por 64-63.

Com 21 pontos marcados, Ruben Prey foi o melhor marcador por Portugal, seguido por André Cruz (14 pontos).

Portugal volta a entrar em campo hoje, sábado, pelas 18 horas, para enfrentar a Bélgica. O encontro tem transmissão aqui.


Estágios de observação de sub14 arrancam este domingo

Entre 3 e 9 de julho, a cidade da Covilhã vai servir de palco a estágios de obervação das Seleções Nacionais de sub14 masculinos e femininos.

Nuno Manaia, diretor técnico nacional, explica este estágios: “Esta é a primeira concentração desta geração de atletas. Estão ainda no início do seu percurso de formação, mas nesta altura já foram identificados como jogadores de interesse nacional. As observações realizadas na Festa do Basquetebol e o desenrolar das competições nacionais e regionais de formação já nos permitem ter alguns dados sobre estes jovens. Agora é a altura de trabalhar com eles, para os conhecermos melhor, quer do ponto de vista técnico e físico, mas também do ponto de vista motivacional. Temos a noção de que o desenvolvimento de atletas não é um processo igual em todos eles, e que nesta altura alguns dos que ficaram de fora irão aparecer mais tarde neste processo de identificação de talentos”, afirma.

O dirigente destaca aspectos importantes relacionados com estes trabalhos: “A FPB tem, desde há quatro épocas, investido na identificação de talentos mais cedo. Este verão vamos trabalhar com eles durante cinco semanas, tentando potenciar ao máximo aquilo a que chamamos a “off-season”. Também nos sub15 vamos fazer igual. E, como é óbvio, isto é aplicável ao masculino e feminino. É um grande investimento, mas entendemos que é fundamental trabalhar mais cedo com estes jovens talentos. Outra coisa importante, é que estas ações incluem um estágio a realizar em Espanha, onde faremos dois jogos com a seleção nacional espanhola, conseguindo estes jovens ter o seu primeiro contacto internacional e a sua primeira internacionalização”, salienta.

Estes estágios vão ficar marcados por vários aspetos: “Neste campo os atletas vão passar por diversas experiências, tais como trabalhar com a equipa técnica nacional, serão realizadas sessões de vídeo, testes físicos, vão ser passados valores de como se devem comportar enquanto ao serviço do país, entre outras coisas”, diz Nuno Manaia.

A FIBA acaba por estar ligada a esta iniciativa: “Esta ação faz parte do Youth Development Fund da FIBA, a que a FPB se tem candidatado nas últimas épocas, e que é focado no desenvolvimento do basquetebol juvenil”, conclui o diretor técnico nacional.

Estamo de um total de 80 atletas (40 em cada género), cujos nomes podem ser consultados em anexo. A equipa técnica masculina é formada por Rui Nazário (selecionador nacional), António Raminhos (treinador-adjunto) e pelos treinadores convidados João Pinto, Luís Saldanha e Nuno Manano. Por seu turno, do lado feminino, temos Teresa Barata (selecionadora nacional), Margarida Faria (treinadora-adjunta) e Ana Soares, Carlota Ferreira e Vanessa Costa (treinadoras convidadas).


Seleções Nacionais sub23 de 3×3 estão nos “quartos”

Noite muito positiva para Portugal nos Jogos do Mediterrâneo, na cidade argelina de Oran, com as Seleções Nacionais sub23 de 3×3 a carimbarem passagem para os quartos de final!

A equipa masculina, num duelo decisivo, superou a Eslovénia por 12-8. A formação lusa esteve em desvantagem apenas no ponto inicial, para depois assumir o controlo das operações. Rui Palhares (5pts) foi o jogador mais concretizador pelas nossas cores, seguido de Lamine Banorá (3pts), Jorge Embaló (3pts) e André Gomes (1pt). Portugal terminou no segundo posto do grupo B e vai defrontar a Turquia, líder do grupo A, nos “quartos”, este sábado (20h40).

Já a Seleção Nacional feminina garantiu o apuramento na primeira partida, face à anfitriã Argélia, com um triunfo por 15-13. Portugal assumiu logo a dianteira do marcador e chegou a dispor de uma vantagem de oito pontos (13-5), mas o adversário africano reagiu na reta final. Raquel Laneiro (9pts) esteve em evidência, sendo secundada por Mariana Silva (4pts) e Maria Marinho (2pts). No segundo embate da noite, que definiu o comandante do grupo A, Portugal perdeu (11-14) frente à Sérvia. Um parcial de 4-0 para o conjunto dos Balcãs acabou por ser decisivo, num jogo em que Raquel Laneiro averbou quatro pontos, seguindo-se Alice Martins (3pts), Mariana Silva (3pts) e Maria Marinho (1pt). À semelhança da equipa masculina, as nossas atletas também vão medir forças contra a Turquia, segunda classificada do grupo C, nos quartos de final, partida agendada para este sábado (21h20).


Portugal deixa escapar vitória na Hungria

A Seleção Nacional sénior masculina perdeu na Hungria por 69-68, num partida com resultado incerto até final, relativa à qualificação europeia para o Mundial 2023. A equipa das quinas lutou até à última posse de bola, mas acabou por não conseguir a tão deseja primeira vitória na qualificação para o Mundial 2023.

A Arena Tuskecsarnok encheu para receber o Hungria vs. Portugal desta sexta-feira e viu a equipa da casa entrar melhor na partida. Apesar do primeiro parcial favorável aos húngaros, a equipa das quinas não se deixou ir abaixo e foi atrás do resultado conseguindo reagir logo no 2.º quarto do encontro graças a um parcial de 19-18. Apesar de estar com nove pontos de desvantagem ao intervalo (40-31), a seleção nacional não baixou os braços e reentrou no jogo no reatar da partida graças a um parcial de 13-21 no 3.º quarto.

Portugal conseguiu passar para a liderança do marcador ainda antes da entrada no derradeiro quarto, mas já dentro dos dez minutos finais deixou novamente a congénere magiar fugir no marcador. Mesmo em desvantagem, Portugal foi atrás da vitória que acabou por não surgir nos últimos segundos da partida, acabando por perder o encontro pela margem mínima (69-68).

A seleção nacional teve momentos de grande qualidade, com destaque para o terceiro quarto, e contou com as influentes exibições de Miguel Queiroz (16pta, 10res, 1dl), Rafael Lisboa (16pts, 2ast, 1rb) e Diogo Brito (10res, 6ast).

No final do encontro, Miguel Queiroz mostrou-se orgulhoso do grupo de trabalho, destacando que, apesar da derrota, Portugal está no bom caminho: “Foi um jogo muito duro, sabíamos que somos o ‘underdog’, que estávamos a jogar aqui na Hungria, mas também tínhamos a ambição para ganhar este jogo. Em casa não lhes conseguimos ganhar apesar de querermos muito. Na primeira parte estivemos abaixo, mas melhorámos muito na segunda parte. Estou muito orgulhoso dos meus companheiros. Fizemos 18 assistências, partilhámos bem a bola. Temos uma seleção muito jovem, mas estamos a caminhar na direção certa. Não conseguimos vencer, mas nunca desistimos. O ambiente estava fantástico e mesmo estando a perder por 13 pontos fomos buscar o jogo. Derrota difícil, mas muito orgulhoso dos meus rapazes”, afirmou o capitão da seleção nacional.

Já o selecionador nacional, Mário Gomes, reforçou a vontade e o querer da equipa das quinas neste encontro com a Hungria: “Antes de tudo, parabéns à Hungria e ao Montenegro pela qualificação. O objetivo passava por nos qualificarmos, mas não conseguimos. O meu trabalho como selecionador é ajudar a equipa e a seleção a subir no ranking. Estamos próximos de o conseguir. Já conseguimos competir com equipas que estão muito acima de nós. Isso não nos traz vitórias e estamos tristes com isso. No entanto, isso é bom. Há uns anos perder por um na Hungria poderia fazer-nos felizes, agora deixa-nos tristes porque viemos aqui para ganhar. Estamos cada vez mais perto. Gostaria ainda de referir que este não foi o jogo para uma das equipas ter mais do dobro de tentativas de lances livres que a outra. Não conseguimos controlar isso, mas sinceramente não foi um jogo para haver esta discrepância tão grande”, concluiu.

A derrota lusa deixa a seleção nacional sem possibilidades de apuramento para a próxima fase qualificação para o Mundial, mas Portugal encerra a sua campanha de qualificação na próxima segunda-feira (19h, transmissão na RTP2), no Multiusos de Odivelas (entrada livre), diante de Montenegro.


Noticias da Federação (Custom)

“Foi um jogo muito competitivo e o benfica levou a melhor”

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Aliquam iaculis blandit magna, scelerisque ultricies nisi luctus at. Fusce aliquam laoreet ante, suscipit ullamcorper nisl efficitur id. Quisque id ornare est. Nulla eu arcu neque. Sed ornare ex quis pellentesque tempor. Aenean urna enim, commodo ut nunc sit amet, auctor faucibus enim. Nullam vitae felis ipsum. Etiam molestie non enim quis tincidunt. Pellentesque dictum, nulla id ultricies placerat, neque odio posuere orci, quis vestibulum justo odio ut est. Nullam viverra a magna eu tempor. Nullam sit amet pellentesque magna. Vestibulum vel fermentum turpis, nec rhoncus ipsum. Ut et lobortis felis, sed pellentesque dolor. Nam ut porttitor tellus, ac lobortis est. Fusce vitae nisl vitae ante malesuada venenatis. Sed efficitur, tellus vel semper luctus, augue erat suscipit nunc, id hendrerit orci dui ac justo.

Pellentesque eleifend efficitur orci, et pulvinar dui tempus lobortis. Proin accumsan tempus congue. Cras consectetur purus et lacinia rhoncus. Ut eu libero eget quam semper malesuada. Aliquam viverra vulputate tempor. Sed ac mattis libero, a posuere ligula. Quisque tellus dui, placerat vel ex in, fringilla fringilla tellus. Aliquam erat volutpat. Aenean convallis quis eros vel ornare. Aliquam et lorem vestibulum, posuere quam ac, iaculis arcu. Fusce feugiat blandit mattis.

Legenda

Praesent sed metus euismod, varius velit eu, malesuada nisi. Aliquam aliquet quam tempor orci viverra fermentum. Sed in felis quis tortor accumsan vestibulum. Aliquam erat volutpat. Maecenas pretium sem id enim blandit pulvinar. Pellentesque et velit id arcu feugiat hendrerit ac a odio. Sed eget maximus erat. Phasellus turpis ligula, egestas non odio in, porta tempus urna. Fusce non enim efficitur, vulputate velit in, facilisis metus.

Nulla sagittis risus quis elit porttitor ullamcorper. Ut et dolor erat. Ut at faucibus nibh. Cras nec mauris vitae mauris tincidunt viverra. Donec a pharetra lectus, vitae scelerisque ligula. Integer eu accumsan libero, id sollicitudin lectus. Morbi at sem tincidunt augue ullamcorper tristique. In sed justo purus. Aenean vehicula quam quis pellentesque hendrerit. Fusce mattis mauris lorem, in suscipit diam pretium in. Phasellus eget porttitor mauris. Integer iaculis justo ut commodo eleifend. In quis vehicula nisi, non semper mauris. Vivamus placerat, arcu et maximus vestibulum, urna massa pellentesque lorem, ut pharetra sem mauris id mauris. Vivamus et neque mattis, volutpat tortor id, efficitur elit. In nec vehicula magna.

Miguel Maria

“Donec Aliquam sem eget tempus elementum.”

Morbi in auctor velit. Etiam nisi nunc, eleifend quis lobortis nec, efficitur eget leo. Aliquam erat volutpat. Curabitur vulputate odio lacus, ut suscipit lectus vestibulum ac. Sed purus orci, tempor id bibendum vel, laoreet fringilla eros. In aliquet, diam id lobortis tempus, dolor urna cursus est, in semper velit nibh eu felis. Suspendisse potenti. Pellentesque ipsum magna, rutrum id leo fringilla, maximus consectetur urna. Cras in vehicula tortor. Vivamus varius metus ac nibh semper fermentum. Nam turpis augue, luctus in est vel, lobortis tempor magna.

Ut rutrum faucibus purus ut vehicula. Vestibulum fermentum sapien elit, id bibendum tortor tincidunt non. Nullam id odio diam. Pellentesque vitae tincidunt tortor, a egestas ipsum. Proin congue, mi at ultrices tincidunt, dui felis dictum dui, at mattis velit leo ut lorem. Morbi metus nibh, tincidunt id risus at, dapibus pulvinar tellus. Integer tincidunt sodales congue. Ut sit amet rhoncus sapien, a malesuada arcu. Ut luctus euismod sagittis. Sed diam augue, sollicitudin in dolor sit amet, egestas volutpat ipsum.