Benfica teve de lutar

O SL Benfica continua a dominar a fase regular da LPB. O triunfo caseiro dos encarnados frente ao Vitória (70-61) foi mais uma demonstração que os benfiquistas continuam determinados em não largar o comando da classificação.

Competições
8 FEV 2014

Mas tal como se previa, o Vitória vendeu cara a derrota, ao intervalo vencia por quatro pontos de diferença, já que só no segundo tempo os benfiquistas confirmaram a vitória no jogo.

No lançamento deste jogo, o Vitória deixou bem claro que vinha a Lisboa na disposição de lutar por um triunfo. A equipa vimaranense deixou bem vincado esse propósito durante os primeiros 20 minutos. Depois de um 1º quarto equilibrado (14-12), os minhotos deram a volta ao resultado durante o 2º período, tendo recolhido aos balneários no comando do marcador (29-25).No inicio da etapa complementar, um triplo do inevitável Jobey Thomas dava a liderança ao Benfica (39-37), com os vitorianos a empatarem o jogo com 5 minutos para jogar no período (39-39). E foram os lançamentos triplos, 3 consecutivos, que fizeram a diferença nos três minutos finais do período (54-49).Nos primeiros cinco minutos do último quarto a eficiência das duas equipas não foi famosa (58-52), num período marcado por vários turnovers, com ambas as equipas a recorrem, sem sucesso, aos lançamentos de longa distância como solução ofensiva. No último minuto, altura em que o Benfica vencia por três pontos de diferença (64-61), o Vitória com dois lançamentos triplos teve a oportunidade de empatar de novo o encontro, mas seria Mário Fernandes a segurar a vitória da linha de lance-livre (66-61). Os comandados de Carlos Lisboa estiveram melhor da linha de três pontos, na tabela ofensiva, mais eficazes da linha de lance-livre e perderam menos bolas. O norte-americano Jobey Thomas (19 pontos) voltou a ser o melhor marcador do Benfica, tendo sido bem secundado pelo seu compatriota Seth Doliboa, autor de 13 pontos, 7 ressaltos e 4 roubos de bola.O aproveitamento da linha de lance-livre e o número de turnovers cometidos pelos atletas do Vitória em nada beneficiou a equipa minhota. O capitão, Paulo Cunha (6 pontos, 11 ressaltos, 3 assistências e 3 desarmes de lançamento), foi o MVP do jogo com 22 de valorização, num jogo em que Pedro Pinto (10 assistências), com 14 pontos, foi o melhor marcador da equipa, e o espanhol Ismael Torres (12 pontos, 5 ressaltos e 2 roubos de bola) mostrou que pode ser útil.

Competições
8 FEV 2014

Mais Notícias