“Tenho total confiança na capacidade competitiva da nossa equipa”

Inês Peres, treinadora da UD Oliveirense, é uma mulher satisfeita com o trajeto protagonizado pelas suas jogadoras no Campeonato Nacional da II DIvisão, que irá culminar na participação na fase final, este fim de semana.

Atletas | Competições | Treinadores
11 MAI 2017

 

Nota: Foto retirada do facebool oficial da UD Oliveirense

A subida de divisão foi um objetivo definido desde o início da temporada?

A subida de divisão não foi um objetivo delineado no início da época, sabíamos que esta época o campeonato seria mais difícil e mais equilibrado. Algumas equipas, nossas adversárias diretas, apresentaram-se mais fortes do que na época passada. Equipas como o CAD Coimbra, Esgueira, CLIP a reforçarem-se e formações como o Marítimo e o Aroso a aparecerem a um bom nível para a sua juventude. Preparámo-nos para estar bem ao longo da época, apostando na evolução da equipa, estando preparadas para discutir cada jogo e com o desenrolar da época fomos percebendo que podíamos estar na decisão final. 
 

Avaliando os adversários, o que espera desta fase final?

O único adversário que conhecemos é o CAD Coimbra, que claramente foi superior na Zona Norte e será um sério candidato ao título. Quer os Tubarões, quer o BAC, são equipas desconhecidas para nós, que respeitamos ao máximo e que decerto vão dar o seu melhor. Será uma fase final equilibrada, sem dúvida nenhuma, com bons jogos em perspetiva. 
 

Em que aspetos a Oliveirense terá que se superiorizar?

A Oliveirense vai chegar certamente a este ponto alto preparada para competir jogo a jogo e não tenho dúvidas de que as minhas jogadoras estão preparadas para enfrentar todas as equipas e discutirem cada jogo como se fosse o último. Tenho total confiança na capacidade competitiva da nossa equipa e da ambição de cada uma delas em disputar esta fase final. 
 

Como avalia o percurso da sua equipa até agora?

A Oliveirense conseguiu chegar a esta fase final somente com três derrotas, ultrapassámos jogos difíceis, ambiente adversos, chegamos a esta fase final ao fim de 36 semanas de trabalho, num caminho seguro daquilo que queríamos, um percurso com uma evolução gradual das capacidades das atletas em prol de um coletivo. Falta-nos disputar o último capítulo deste percurso que pretendemos que tenha um final feliz. 

Atletas | Competições | Treinadores
11 MAI 2017

Mais Notícias