“Os jogadores têm mérito total nos resultados”

Balanço muito positivo após duas vitórias indiscutíveis em Nicósia

Seleções
20 FEV 2021

Dois jogos, duas vitórias claras e o salto para o comando do grupo A da 1.ª fase de pré-qualificação para o Mundial 2023. É este o saldo da Seleção Nacional masculina na “bolha” de Nicósia, em Chipre, na qual Portugal bateu a Bielorrússia e a congénere cipriota.

Em jeito de rescaldo, falámos com o selecionador nacional, Mário Gomes, e com os jogadores José Barbosa, Sasa Borovnjak e Gonçalo Delgado, havendo um denominador comum: um balanço muito positivo dos últimos dias.

Mário Gomes não esconde a felicidade depois das duas boas exibições lusas: “O balanço que faço é o mais positivo possível, quer em termos de resultados, quer da forma como trabalhámos para os alcançar. Estou muito satisfeito”, afirma.

Esta convocatória teve caras novas, num grupo de trabalho com vários jovens. Para Mário Gomes, todos os jogadores são convocáveis: “Esta convocatória teve a ver, não só com o presente, mas também com os nossos objetivos a médio prazo, que passam pelo apuramento para o Europeu 2025. Não há seleções do futuro, mas sim seleções do presente. As idades interessam-me pouco, apesar da preocupação de termos à disposição um núcleo de jogadores que tem alguns anos pela frente na Seleção Nacional. Uma palavra para os atletas mais experientes desta equipa, que continuam a mostrar ambição e que jogam com prazer, o que é muito importante para fazer um coletivo forte com os mais novos. Os jogadores que aqui estão têm mostrado valor nos seus clubes, essa é a responsabilidade deles, enquanto toda a restante responsabilidade é da equipa técnica, porque nós é que os chamamos. Mostraram que merecem estar aqui, mas não são os únicos. Esta convocatória foi diferente da anterior e a próxima será diferente desta, provavelmente. Mas conto com todos os jogadores”, garante.

O líder da equipa técnica nacional projeta um bom futuro com esta atitude e deixa fortes elogios aos atletas: “Quando apontámos a meta de estar presentes no Europeu 2025, já tinha mentalizado aproveitar os verões 2020 e 2021, durante os quais tínhamos a informação de que não haveria competições oficiais, para fazer um trabalho diferente, alargar o grupo de convocáveis e realizar jogos frente a seleções mais fortes. Em 2020 o plano saiu-nos gorado pelas razões que todos conhecem e este ano haverá competição oficial, pelo que temos de pensar no presente. Não sabemos quais serão os nosso adversários na próxima fase e qual será o formato, mas uma coisa eu sei: se continuarmos a jogar assim, temos capacidade para discutir um lugar nas séries de qualificação para o Mundial. Para além de termos todos os jogadores disponíveis, espero que possamos dispor de algum tempo para treinar e que façamos mais jogos de controlo, diante de adversários que estejam acima de nós no ranking. Em quase quatro anos fizemos apenas sete jogos de controlo. Treinar não chega, é preciso defrontar equipas mais fortes para poder evoluir. O mais importante é dar total mérito aos jogadores por estes dois resultados, em Nicósia. Obviamente que não é em três dias que se forma uma equipa ou que se muda muita coisa. Os jogadores têm muito mérito nisto”, vinca.

Do lado dos jogadores, José Barbosa já tem os olhos postos na próxima etapa da pré-qualificação: “Faço um balanço bastante positivo destes dois jogos, concretizámos o objetivo de vencer ambos. Terminámos ainda na liderança do grupo, o que foi um extra muito positivo para uma equipa que está a crescer, com muita gente nova. Não pudemos trabalhar assim tanto, ao longo da semana, mas correspondemos da melhor forma. A próxima fase será contra equipas mais fortes, mas só temos de ver isso pelo lado positivo. Só contra essas seleções poderemos crescer e ganhar maturidade. Teremos de jogar da mesma forma, com ambição, e dessa forma as coisas vão correr-nos bem”, projeta.

Sasa Borovnjak, recentemente naturalizado português, e autor de uma grande exibição este sábado, mostra-se cada vez mais integrado: “Estes dois jogos foram muito importante para nós. Estivemos muito focados e seguimos os plano de jogo traçados. Jogámos como equipa, fizemos a diferença. A minha adaptação a esta equipa foi muito fácil, porque já havia jogado antes com vários colegas. Podermos voltar a jogar juntos não é difícil. Sinto-me melhor a cada jogo pela Seleção”, destaca.

Outro dos destaques lusos foi Gonçalo Delgado, que esteve em grande estilo em ambos os encontros. O jovem poste abordou a sua postura em campo: “Com pouco tempo de trabalho, conseguimos duas vitórias importantes. Tentei transmitir boa energia à equipa, nomeadamente à defesa, para consequentemente marcarmos mais pontos”, diz.

Seleções
20 FEV 2021
publicidade

Mais Notícias