Sportiva e Vitória SC medem forças nos Açores

Emília Ferreira e Sara Ressurreição em discurso direto sobre jogo da Liga Skoiy (12h de domingo)

Imagem de Destaque 1
Atletas | Competições
17 OUT 2020

A Liga Skoiy regressa este fim de semana, e em Ponta Delgada há embate entre União Sportiva e Vitória SC, a partir das 12 horas de domingo, com transmisão na FPBtv (menos uma nos Açores). Estivemos à conversa com Emília Ferreira, do emblema insular, e com Sara Ressurreição, atleta do conjunto minhoto.

Emília Ferreira, reforço do Sportiva para esta temporada, caracteriza o adversário: “É um Vitória SC que já todos conhecemos, com o seu forte jogo interior e exterior. É uma equipa que joga intenso toda a partida e que aproveita muito bem as oportunidades”, descreve.

A extremo de 24 anos elogia a sua equipa, mas não assume que seja um dos principais candidatos ao título: “Somos uma formação jovem e com boa capacidade de aprendizagem. Temos jogadoras com bastante qualidade, que podem vir a contribuir muito dentro de campo. Ainda é muito cedo para apurar se somos um dos principais candidatos ao título, também devido a toda esta situação. Estamos focadas, não só na nossa saúde, como também em toda a equipa, e num jogo de cada vez.

A internacional portuguesa mostra-se motivada, nestes primeiros tempos no clube açoriano: “Está a ser uma experiência positiva! O Sportiva é uma equipa que, nas últimas temporadas, esteve sempre no top da classificação, e por isso espero estar no meu melhor e dar tudo para que consigamos estar em todos os pontos altos do campeonato.

A norte mora o Vitória SC, que tem dois triunfos em outros tantos jogos. Sara Ressurreição explica as razões: “Não há segredos para as vitórias, acredito que o sucesso é resultado do trabalho diário, e este grupo tem sido exemplar ao nível do compromisso, da entrega e dedicação, todos os dias nós desafiamo-nos a sermos melhores, a querer sempre mais. Quanto ao plantel, é muito heterogéneo, temos maior rotação para todas as posições e atletas com características diferentes, que se completam. O núcleo do grupo transitou da época transata e isso ajuda na integração das novas atletas e numa comunicação mais eficaz dentro de campo. Estamos ainda no início do campeonato, mas estamos cientes de que o caminho é longo e que a consistência do trabalho é determinante para alcançarmos os nossos objetivos”, afirma.

A base de 26 anos é a porta-voz da ambição da equipa: “O objetivo inicial passa por consolidar o nosso estilo de jogo, sermos mais consistentes para uma maior competitividade possível. Pensar jogo a jogo é a nossa prioridade, até porque as circunstâncias, mais do que nunca, assim o exigem. Somos uma equipa humilde e muito ambiciosa, não escondo que existe um sentido de missão a cumprir dentro do grupo: queremos estar na luta com todas as equipas e estar presentes em todos os pontos altos da época”, assume.

Sara Ressurreição salienta os pontos fortes do opositor de domingo: “O Sportiva é um clube que tem vindo a afirmar-se, época após época, como um dos principais candidatos ao título na Liga, e este ano não será diferente. Trata-se de uma equipa que conta com seis novos reforços, e que por isso me parece ter um plantel com mais opções. Como principais qualidades, destaco os desequilíbrios criados, essencialmente, pela Nausia WoolFolk, a qualidade e versatilidade das jogadoras interiores e a irreverência das jovens bases. Temos de eliminar e/ou dificultar os pontos fortes do Sportiva, obrigando a mudanças nos processos ofensivos e defensivos, criando assim desconforto na organização e tomada de decisão”, dá a receita.

Atletas | Competições
17 OUT 2020
publicidade

Mais Notícias